/apps/enel-x-digital-ecosystem/templates/page-press

Viaduto de noite todo iluminado

Iluminação pública com luminárias de LED reduz custos e elimina emissão de CO2

Tecnologias conectadas permitem às prefeituras implantar sistemas de iluminação pública inteligentes, que garantem conforto visual aos usuários

PUBLICADO NO DIA: 14/05/2021

Seja uma cidade grande ou pequena, oferecer uma iluminação adequada e de qualidade à população vai muito além da substituição de luminárias  queimadas, manutenção de postes e fiações elétricas. Espaços públicos bem iluminados são fundamentais para assegurar a mobilidade e a segurança dos cidadãos.

 

No Brasil, a iluminação pública representa uma fatia expressiva no consumo total de energia e, desde 2010, após a Resolução Normativa nº 414 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), os municípios passaram a responder pela gestão e manutenção dos ativos de iluminação.

Mas quem paga a conta é o contribuinte, por meio da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) e da Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip).

Além de pesar no bolso do consumidor, a iluminação pública chega a representar 25% das emissões de CO2 na atmosfera. Por isso, encontrar alternativas mais baratas e sustentáveis é um desafio para as prefeituras.

 

Um planejamento de iluminação pública de qualidade contempla diversas variáveis, considerando desde o tipo e tamanho da área, ao conforto visual dos cidadãos. Por exemplo, praças e parques precisam de níveis de iluminação e foco das luminárias diferentes dos utilizados em ruas e avenidas.

 

Além disso, em projetos arquitetônicos e urbanísticos, a luz é utilizada de forma estratégica para destacar e valorizar monumentos e pontos turísticos.

Iluminação por LED: mais economia e sustentabilidade

Com menor consumo de energia e maior vida útil, as luminárias de LED (diodo emissor de luz, sigla do inglês: light-emitting diode) são muito mais sustentáveis e  diminuem significativamente a necessidade de substituição por tempo de uso.

 

Uma luminária de LED pode reduzir o consumo de energia em mais de 50% e pode durar até 25% a mais que as luminárias convencionais.

 

Além disso, os LEDs são mais sustentáveis, porque produzem menos calor e, ao contrário das luminárias convencionais, não emitem vapor de gases como mercúrio e sódio.

Rua iluminada de noite

Iluminação LED

O ponto de partida para a construção das cidades inteligentes e sustentáveis.

Internet das Coisas e Inteligência Artificial

Com conexões cada vez mais rápidas e a popularização da tecnologia de Internet das Coisas (IoT), a modernização da malha de iluminação pública traz ganhos que vão além da economia e eficiência. Isso é possível porque a estrutura onde são montados os LEDs suporta recursos adicionais como a integração com plataformas que permitem a transmissão e o cruzamento de informações críticas, apoiando a gestão municipal, desde o gerenciamento do trânsito à prevenção de catástrofes.
Na prática, sensores dotados com wi-fi coletam e compartilham dados que podem ser acessados por delegacias, centrais de controle de tráfego, defesa civil e outros órgãos municipais. Com o avanço dos recursos de inteligência artificial, esses sistemas conectados são capazes não só de identificar problemas, como emitir alertas e, até mesmo, “tomar decisões”, como acionar uma viatura policial em caso de violência, ligar uma luz de emergência ou destacar equipe técnica para consertar um semáforo, favorecendo medidas preventivas e providencias imediatas.

Cidades inteligentes a serviço do cidadão

Essa gestão interligada e conectada está por trás do funcionamento das cidades inteligentes. Estudo realizado com 174 cidades de 80 países mostra que o Brasil ainda está engatinhando nesse caminho. Mas esse quadro tem potencial para mudar, graças a projetos em andamento no País, como a PPP para Iluminação Pública Inteligente em Angra dos Reis, um projeto importante liderado pela Enel X.

 

O projeto contempla a instalação de 20 mil pontos de LED e 2 mil luminárias telecomandadas por centrais remotas, incluindo iluminação arquitetural em monumentos e edificações importantes do município. A PPP faz parte da estratégia global de soluções para cidades inteligentes da Enel X, voltada à iluminação pública, eficiência energética e transporte público.

Escada em metrô iluminado.

Iluminação Adaptativa

Ajuste inteligente de iluminação pública conforme as condições climáticas e intensidade de tráfego.

Na prática, sensores dotados com wi-fi coletam e compartilham dados que podem ser acessados por delegacias, centrais de controle de tráfego, defesa civil e outros órgãos municipais. Com o avanço dos recursos de inteligência artificial, esses sistemas conectados são capazes não só de identificar problemas, como emitir alertas e, até mesmo, “tomar decisões”, como acionar uma viatura policial em caso de violência, ligar uma luz de emergência ou destacar equipe técnica para consertar um semáforo, favorecendo medidas preventivas e providencias imediatas.

 

Cidades inteligentes a serviço do cidadão

 

Essa gestão interligada e conectada está por trás do funcionamento das cidades inteligentes. Estudo realizado com 174 cidades de 80 países mostra que o Brasil ainda está engatinhando nesse caminho. Mas esse quadro tem potencial para mudar, graças a projetos em andamento no País, como a PPP para Iluminação Pública Inteligente em Angra dos Reis, um projeto importante liderado pela Enel X.

 

O projeto contempla a instalação de 20 mil pontos de LED e 2 mil luminárias telecomandadas por centrais remotas, incluindo iluminação arquitetural em monumentos e edificações importantes do município. A PPP faz parte da estratégia global de soluções para cidades inteligentes da Enel X, voltada à iluminação pública, eficiência energética e transporte público.

 

Baseados na energia renovável, os sistemas inteligentes de iluminação da Enel X são projetados para oferecer mais qualidade de vida e percepção de segurança aos cidadãos.

 

Se você quer saber mais sobre o assunto, acesse o site para conhecer soluções e cases de sucesso em eficiência energética.

 

Leia mais: Parceria Público-Privada: solução para cidades avançarem