/apps/enel-x-digital-ecosystem/templates/page-press

Estátua de pedra

Iluminação arquitetural eficiente que valoriza o patrimônio histórico

Entenda como um bom projeto de iluminação arquitetural pode contribuir para a valorização do patrimônio histórico e artístico e ajudar no desenvolvimento

PUBLICADO NO DIA: 19/08/2021

A iluminação pode ser considerada um dos elementos mais importantes da arquitetura. Muito mais que um mero detalhe, um bom projeto de iluminação é capaz de dar vida aos ambientes e edificações, enriquecer espaços públicos e evidenciar o valor do patrimônio histórico e artístico das cidades. Em suma, é uma forma de valorizar e criar uma nova energia em localidades ou espaços urbanos. 

 

Por meio de técnicas avançadas de iluminação natural e artificial, especialistas em luminância promovem conforto visual, suscitam a percepção de detalhes, ajudam a melhorar a experiência estética e promovem impacto emocional nas obras arquitetônicas. Nas cidades, projetos luminotécnicos direcionados aos sítios do patrimônio histórico favorecem o turismo e ajudam a promover o desenvolvimento social e econômico do território.

 

Em tempos de construções de cidades inteligentes, é importante ressaltar que um projeto desta natureza deve compreender conceitos de iluminação inteligente e eficiência energética para diminuir o consumo de energia,  aumentar a durabilidade dos projetos e promover maior sustentabilidade ambiental.

Iluminação arquitetural inteligente

Um sistema de iluminação inteligente é baseado na tecnologia LED, que promove maior eficiência energética e durabilidade das lâmpadas e dispositivos, redução de custos e sustentabilidade ambiental.

 

Um projeto de iluminação arquitetural inteligente pode promover soluções permanentes, com o objetivo de promover intervenções importantes de preservação do patrimônio, ou temporárias, dedicadas a eventos, campanhas, festividades e comemorações pontuais. 

 

Um projeto de iluminação arquitetural inteligente deve contemplar:  

 

Personalização: deve ser feito sob medida em torno das necessidades dos cidadãos e dos órgãos competentes.

 

Tecnologia de ponta: uso de dispositivos e soluções de primeira linha para otimização, controle, digitalização e personalização do novo sistema de iluminação.

 

Eficiência energética: o projeto deve obter a máxima economia, evitando a dispersão de iluminação e seguindo as normas mais rigorosas em termos de poluição luminosa.

 

Valorização e domínio artístico: olhar artístico específico que privilegia abordagens "suaves" que melhoram a beleza implícita do monumento e evitam intervenções invasivas.

Normalmente, um projeto iluminação arquitetural compreende as seguintes etapas:

 

  • Análise histórica precisa do monumento e do contexto circundante;
  • Avaliação do território e do cenário urbano;
  • Definição dos elementos a serem valorizados;
  • Simulações virtuais;
  • Estudo de otimização de custos;
  • Utilização de tecnologia LED para menor consumo de energia.

 

Veja agora as possíveis aplicações de iluminação arquitetural inteligente nos municípios:

 

  • Monumentos, igrejas e edifícios históricos;
  • Centros históricos;
  • Mercados municipais;
  • Praças, parques, jardins e chafarizes;
  • Museus
  • Sítios arqueológicos e naturais;
  • Pontes e arcos;
  • Esculturas urbanas;
  • Orlas;
  • Estações de trens, portos e aeroportos;
  • Eventos religiosos e civis;
  • Outros.

Expertise da Enel X em Iluminação Arquitetural Inteligente

Escada em metrô iluminado.

Iluminação Adaptativa

Ajuste inteligente de iluminação pública conforme as condições climáticas e intensidade de tráfego.

A Enel X é a linha de negócios globais da Enel dedicada ao desenvolvimento de produtos inovadores e soluções digitais em setores em que a energia está mostrando o maior potencial de transformação: cidades, residências, indústrias e mobilidade elétrica. Com mais de 30 anos de experiência em iluminação arquitetural, a empresa foi responsável por projetos de iluminação em monumentos arquitetônicos de grande relevância histórica e cultural, como a Santa Maria Maggiore (Basílica de Santa Maria Maior) e o Panteão em Roma e as Alcáceres Reais de Sevilha.