/apps/enel-x-digital-ecosystem/templates/page-press

Pista movimentada de carros a noite

3 medidas essenciais para a promoção da mobilidade urbana sustentável no Brasil

Conheça os três principais aspectos da mobilidade elétrica que são fundamentais nas cidades inteligentes e na promoção da qualidade de vida nos grandes centros

PUBLICADO NO DIA: 28/05/2021

A facilidade de deslocamento em uma cidade, seja de carro, a pé, bicicleta ou transporte público, é fundamental para o desenvolvimento social e econômico da população. Promover uma mobilidade urbana de qualidade, em prol de um espaço público mais sustentável, humanizado e saudável, atualmente, é um grande desafio dos gestores dos grandes centros urbanos, de todo o planeta.

Tornar as cidades mais inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). De acordo com o ODS 11 no Pacto Global da ONU, os governos devem proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis, sustentáveis e a preço acessível para todos, melhorando a segurança rodoviária por meio da expansão dos transportes públicos, com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos. Tudo isso, até 2030.

O Grupo Enel é signatário da Agenda 2020 do Pacto Global e, por meio de cada uma de suas empresas, está contribuindo para transformar o mundo para melhor. Especialmente a Enel X, com sua incansável vontade de inovar, está sempre trazendo soluções integradas e modernas para a mobilidade sustentável a partir da eletrificação de transportes.

Com a crescente preocupação da sociedade com o meio ambiente e o futuro do planeta, a mobilidade elétrica é uma das principais frentes para reduzir o impacto da atividade humana na natureza. Conheça as razões que colocam a mobilidade no centro da solução nos pontos a seguir:

1 - Mobilidade Elétrica: sustentabilidade, saúde e segurança

De acordo com o estudo da WRi Brasil “ O Estado da Qualidade do ar no Brasil ”, nos grandes centros urbanos do nosso país, o transporte individual responde por cerca de 57% das de transporte de dióxido de carbono, o transporte público coletivo, por 27% das transportadas, enquanto veículos pesados ​​para transporte de carga, por 12%.  Esse é o motivo principal pela qual a  eletrificação do transporte público e individual   deve ser a base da mobilidade urbana sustentável.

Além de contribuir para a mitigação dos riscos das mudanças climáticas, a  mobilidade elétrica  melhora a qualidade de vida das pessoas nas cidades, posicionada exponencialmente a sonora e atmosférica. Vale destacar  um estudo  feito por cientistas de Harvard, em colaboração com a Universidade de Birmingham, a Universidade de Leicester e o University College London (UCL), que revelou que mais de 8 milhões de pessoas morreram em 2018 devido à proliferação causada pela queima de combustíveis fósseis. A criação de um ecossistema de mobilidade elétrica no Brasil faz ainda mais sentido para uma indústria automobilística moderna e por ter uma matriz elétrica limpa e renovável.Dessa forma, a descarbonização dos transportes também é fator determinante para a construção das  cidades inteligentes

A eletricidade é insumo para o desenvolvimento das tecnologias urbanas conectadas, capazes de integrar os sistemas municipais de mobilidade, iluminação e segurança, tornando a gestão municipal mais simples e eficiente.   

A expansão de frotas de ônibus elétricos e postos de recarga vêm crescendo nos últimos anos.
A boa notícia é que o setor de mobilidade de elétrica vem crescendo nos últimos anos, graças aos investimentos de empresas como a Enel X, que promove soluções e parcerias para aumentar a infraestrutura de eletropostos  (postos de recarga de veículos elétricos e híbridos) para automóveis individuais e a expansão da frota de ônibus elétricos em toda a América Latina

2 - Transportes Coletivos e Integração Modal

A conexão dos diferentes meios de transportes coletivos é fundamental para minimizar impactos ambientais.
Frota Pública de Veículos

Frota Pública de Veículos

Veículos movidos a energia limpa para promoção de sustentabilidade e redução de custos.

Não é novidade que os países com maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) possuem uma boa infraestrutura de transporte público. Uma cidade com mobilidade urbana de qualidade melhora a vida das pessoas, pois gera economia de tempo e menos estresse para os cidadãos.

De acordo com a MobiliDADOS, plataforma de indicadores de mobilidade urbana do  ITDP Brasil , o transporte coletivo é responsável por 40% das viagens realizadas nas regiões metropolitanas brasileiras, e o ônibus é o modo de transporte mais utilizado pela população.

Neste sentido, a eletrificação das frotas de ônibus deve avançar não apenas por causa da sustentabilidade ambiental, mas também pela possibilidade de gerar conectividade dos sistemas, por meio de inovações tecnológicas, como inteligência artificial e IoT.

Um sistema de gestão de transporte rodoviário inteligente compreende o uso de sensores, câmeras de vídeo e aplicativos, proporcionando diversos benefícios para uma população no dia a dia. Por meio da transmissão de dados em tempo real e análises preditivas, é possível otimizar a frequência e capacidade dos ônibus em circulação, evitando superlotações e atrasos.

Outro aspecto fundamental é a integração dos diversos meios de transporte público, de acordo com a demanda do município. A conexão dos diferentes modais (ônibus, trens, metrôs, barcas, teleféricos, etc) é imprescindível para a mobilidade urbana sustentável, pois possibilita incremento no número de trajetos, reduz custos, minimiza impactos ambientais e contribui para redução dos congestionamentos das vias públicas.

Paralelamente à integração física e operacional, também é possível equacionar as tarifas, com a adoção de únicos e complementares, já populares em cidades como Rio e São Paulo.

3 - Infraestrutura de Ciclovias

A construção e expansão de ciclovias e ciclofaixas nas cidades é o terceiro aspecto indispensável em um projeto de mobilidade urbana sustentável. Bicicletas e patins, motorizados ou não, são transportes alternativos carbono zero, que contribuem para a saúde da população e geram economia financeira. 

Conheça a primeira Ciclovia Inteligente de São Paulo, inaugurada pela Enel X.

No entanto, o incentivo à adoção de transportes ativos depende também de um projeto de integração entre rotas de caminhada, ciclovias, estações de bike-sharing e os grandes sistemas de transporte urbano, como os metrôs, trens urbanos, BRTs, barcas e terminais de transportes.   

Ciclovias e ciclofaixas ajudam na mobilidade urbana, aliviam o trânsito, geram economia financeira e contribuem para a saúde das pessoas.